O Iclei – Governos Locais pela Sustentabilidade realizou, em 4 de maio, o webinar “Grupo de Atores de Soluções Baseadas na Natureza (SBN), com o objetivo de colocar em prática a formação desse conjunto de agentes. O encontro virtual reuniu 70 especialistas sobre o tema de vários lugares do país e foi organizado em parceria com a Fluxus Design e o Observatório de Inovação para Cidades Sustentáveis (Oics), do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), parceiro coexecutor do Projeto CITinova.

O webinar faz parte do projeto “Urban by Nature”, do Programa Conecting Nature, coordenado pelo Iclei e que promove diversas ações de capacitação pelo desenvolvimento sustentável. Para o Brasil, uma das propostas é criar um hub, dando ferramentas para que as cidades possam implementar as SBN. O CGEE é um dos parceiros dessa iniciativa, por meio do Observatório de Inovação para Cidades Sustentáveis.

Durante o encontro, o coordenador do Observatório, Marco Lobo, destacou que as SBN são um dos temas abordados pelo OICS, que integra o projeto CITinova (citinova.mctic.gov.br). “Esse trabalho foca na busca da transformação das cidades brasileiras em cidades mais sustentáveis. O Observatório é uma plataforma virtual que vem trazer soluções contextualizadas dentro do território nacional”, ressaltou.

Sophia Picarelli, representante do Iclei, falou sobre as dificuldades para promover uma agenda das SBN no Brasil. Entre elas, as poucas pesquisas realizadas em cursos de graduação e pós-graduação, com lacunas de informações específicas para o contexto nacional. “As SBN trazem essa necessidade de integração e compartilhamento de conhecimento”, destacou. Ela apontou ainda a falta de monitoramento sobre as efetividade das medidas de SBN.

Picarelli abordou, ainda, o conceito de “empreendedorismo baseado na natureza”, hoje debatido na Europa. A proposta leva em consideração o impacto ecológico e social e não apenas a geração de lucro. O tema prevê a inclusão de diversos setores e a combinação de técnicas tradicionais e inovadoras.

A consultora Cecilia Herzog destacou que as SBN são inspiradas e mantidas pela natureza, conectando processos e fluxos naturais. De acordo com ela, essas soluções oferecem diversas vantagens ambientais, econômicas e sociais. Herzog lembrou de municípios que desenvolvem projetos que adotam esse conceito, como Curitiba (PR); Rio de Janeiro (RJ) e Benevides (PA). As iniciativas abordam temas como restauração ecológica de nascentes.

Durante o webinar, houve também discussão em grupo, na qual vários participantes trouxeram suas contribuições e apontaram desafios como ausência de incentivo legal e instrumentos reguladores de SBN, poucos profissionais especializados e conectados e a importância de maior divulgação do tema.

Com informações da Assessoria de Comunicação do CGEE


Leia também