Sema-DF lança plataforma com dados espaciais e informações ambientais do DF

O Distrito Federal conta, a partir de hoje (29/04), com uma plataforma de inteligência ambiental-territorial, pública e gratuita, disponibilizada a toda sociedade, o Sistema Distrital de Informações Ambientais (SISDIA).

Desenvolvido pela Secretaria do Meio Ambiente (Sema-DF), com apoio do CITinova, projeto multilateral sob responsabilidade e coordenação nacional do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), o SISDIA tem como objetivo principal promover a comunicação entre governo e sociedade e pode ser acesso no endereço no endereço sisdia.df.gov.br. Conta, para isso, com armazenamento e compartilhamento de maneira integrada, transparente e segura de dados espaciais e informações ambientais, produzidas e atualizadas por diversos órgãos governamentais do DF.

Com mais de 400 participantes, o lançamento on line foi aberto por José Sarney Filho, secretário do Meio Ambiente do DF, Marcelo Marcos Morales, secretário de Pesquisa e Formação Científica do MCTI, Herman Benjamin, ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Arlete Sampaio, deputada federal (PT-DF), Pedro Henrique Zucchi, assessor de Sustentabilidade Ambiental da Universidade de Brasília (UnB), e Asher Lessels, gestor de Portfólio da América Latina e Caribe do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Marcelo Morales, do MCTI, ressaltou a importância do lançamento do SISDIA como “um exemplo da contribuição do melhor conhecimento científico no apoio ao planejamento urbano integrado e um modelo a ser replicado para todo o pais”. O secretário da Sepef citou ainda duas outras plataformas de abrangência nacional que estão sendo desenvolvidas e aperfeiçoadas no âmbito do CITinova, o Observatório de Inovação para Cidades Sustentáveis, com mapeamento e divulgação de soluções urbanas inovadoras, contextualizadas ao território nacional por meio de tipologias de cidades-regiões, e a nova plataforma do Programa Cidades Sustentáveis, que tem como principal função apoiar o planejamento local dos municípios brasileiros.

Morales destacou também o AdaptaBrasil MCTI, plataforma de Índices e Indicadores de risco de impactos das mudanças climáticas no Brasil, lançada em outubro de 2020 pelo Ministério, em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa e a Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais.

O secretário Sarney Filho afirmou que o SISDIA vem somar “para que o desenvolvimento de Brasília aconteça, cada vez mais, dentro dos princípios da sustentabilidade e voltado à qualidade de vida”.  O ministro Herman Benjamin complementou que, “ao falar de proteção do meio ambiente, estamos falando da dignidade da pessoa”. Para ele, “política ambiental não existe sem geração de conhecimento e da informação”. 

Asher Lessels, do PNUMA, órgão implementador do Projeto CITinova, salientou o público alvo da nova plataforma: “em primeiro lugar, os gestores públicos, que formam as políticas públicas para promover o desenvolvimento sustentável da cidade; seguidos da sociedade civil, que precisa desta transparência para poder acompanhar o que está acontecendo na cidade em que vive; e também o setor acadêmico, que é a fonte para identificação de soluções e insumos para a lavração da política pública”.

Resultado da articulação de 18 bancos de dados governamentais e da UnB, o portal do SISDIA disponibiliza estudos que abordam projeções climáticas para o DF e Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (RIDE); Índices de Sustentabilidade nas bacias do Descoberto e Paranoá; Mapeamento da cobertura vegetal e do uso do solo no Distrito Federal; Diagnóstico sobre a contaminação do antigo Lixão e; o Inventário de Clima atualizado até 2018. 

O SISDIA é uma realização da SEMA-DF, com apoio do CITinova, projeto multilateral realizado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) com recursos do Global Environment Facility (GEF), implementação do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), e execução, em Brasília, pela Secretaria do Meio Ambiente-DF, em parceria com o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE).


Foto de abertura Foto: Arquivo CITinova

Leia também