Recife recebe missão do PNUMA e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações

A capital Pernambucana irá receber, entre os dias 5 e 7 de outubro, uma missão institucional do projeto CITinova, representada pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

O objetivo da visita é acompanhar o andamento das ações e reforçar as relações com os parceiros co-executores do projeto CITinova, iniciativa financiada pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF), cujo foco é viabilizar financeiramente projetos de enfrentamento aos principais desafios ambientais. A Agência Recife para Inovação e Estratégia (ARIES), que executa o projeto na capital pernambucana juntamente com o Porto Digital, é a articuladora da agenda.

Participam da missão o secretário de Pesquisa e Formação Científica do MCTI, Marcelo Morales; o gestor de Portfólio do PNUMA, Asher Lessels; o diretor do Departamento de Ciências da Natureza do MCTI, Savio Raeder; o coordenador-Geral de Ciência para Biodiversidade e diretor nacional do CITinova (MCTI), Luiz Henrique Mourão do Canto Pereira; e a Coordenadora Nacional do CITinova (MCTI), Ana Lúcia Stival.

A programação da missão contará, entre outras atividades, com um encontro com o prefeito do Recife, João Campos (PSB), e secretariado e com navegação exploratória no Capibaribe para apresentar a cidade da perspectiva do rio e abordar a potencialidade do Projeto Parque Capibaribe, no qual serão executados dois trechos de urbanização pela ARIES, por meio de financiamento do CITinova.

O secretário Marcelo Morales externou satisfação com a visita: “O MCTI está à frente de diversas iniciativas relacionadas à temática da sustentabilidade, conduzindo, por meio da Secretaria de Pesquisa e Formação Científica, ações que contribuem para 11 dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Nossa missão é produzir conhecimento, produzir riquezas para o Brasil e contribuir para a qualidade de vida dos brasileiros”.

Para a diretora de projetos da ARIES, Mariana Pontes, será uma oportunidade de, em um mesmo momento, apresentar o andamento das entregas dos projetos, bem como avaliá-los em conjunto com nossos fornecedores, a Prefeitura do Recife, o MCTI e o PNUMA. “A nossa expectativa é que as relações institucionais sejam reforçadas e cada vez mais a ARIES possa contar com o apoio da Prefeitura para a finalização das entregas dos projetos-pilotos, visto que a PCR será a responsável pela manutenção dos espaços públicos, além de parte interessada principal para implantação dos estudos e planos que serão entregues”, antecipou Mariana Pontes.

O projeto CITinova também está envolvido no processo de atualização do plano estratégico de longo prazo da capital pernambucana, o Plano Recife 500 Anos. “Dessa forma, a atuação do CITinova reverbera para a cidade como
um todo, para além das áreas focais de investimentos que receberão as intervenções dos projetos-pilotos, como é o caso, por exemplo, do Parque do Caiara, que receberá os Jardins Filtrantes”, afirma Pontes.

Essa ação, que integra o projeto CITinova e terá sua execução iniciada nos próximos meses, é uma solução baseada na natureza cujas plantas fitorremediadoras realizam o processo de filtragem da água. Necessitam, portanto, essencialmente de manutenção para que a tecnologia cumpra seu papel em melhorar a qualidade da água.

Planejamento urbano – A sexta chamada do Fundo Global para o Meio Ambiente, o GEF 6, atua num total de 11 países e 27 cidades, sendo Recife uma das cidades brasileiras contempladas. Nacionalmente, o projeto é executado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e co-executado por parceiros nas cidades de Brasília, Recife e São Paulo.

No Recife, a execução do CITinova é responsabilidade da Agência Recife para Inovação e Estratégia (ARIES) e do Porto Digital, tendo como tema principal o planejamento urbano e como ele pode nos trazer uma cidade mais sustentável e integrada para que consigamos enfrentar as mudanças climáticas.




Leia também