PCS lança ÍNDICE para estimular e monitorar os ODS em mais de 700 cidades brasileiras

O Instituto Cidades Sustentáveis, no âmbito do Programa Cidades Sustentáveis (PCS), parceiro coexecutor do CITinova, lança no dia 23 de março o Índice de Desenvolvimento Sustentável das Cidades – Brasil (IDSC-BR), ferramenta que vai permitir mapear, monitorar e avaliar o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em mais de 700 cidades brasileiras.

Elaborado com base em mais de 80 indicadores, o Índice atribui, para cada município, uma pontuação específica por Objetivo e outra, mais abrangente, para o conjunto dos 17 ODS. Com isso, o Instituto Cidades Sustentáveis espera contribuir para um movimento de transformação efetiva nas cidades brasileiras, orientando a ação municipal a partir de referências e metas com base em indicadores de gestão.

Em tempos de crise, a orientação estratégica é ainda mais fundamental para o desenvolvimento sustentável das cidades, baseado em dados, ações integradas e inovação. Especialmente no âmbito da pandemia, a plataforma online poderá ajudar as cidades na avaliação de prioridades, fortalecer o engajamento da sociedade e pautar a agenda política local na direção da municipalização dos ODS.

Plataforma no ar
O lançamento do Índice acontece no dia 23 de março, terça-feira, das 10h às 11h30, em evento virtual, com a participação de Jorge Abrahão, coordenador geral do ICS, e Jeffrey Sachs, Presidente do Sustainable Development Solutions Network (SDSN), parceira da iniciativa.

Inicialmente, a plataforma apresentará uma avaliação de 770 municípios, a partir de dados disponíveis nas bases nacionais. Com o comparativo em mãos, essas cidades também poderão gerar o Relatório Voluntário Local (RVL), instrumento de prestação de contas sobre o progresso da implementação dos ODS em nível nacional e subnacional.

A seleção das cidades levou em consideração diferentes critérios, de modo que pudesse contemplar capitais brasileiras, municípios com mais de 200 mil eleitores, signatários do Programa Cidades Sustentáveis e, ainda, todos os biomas do país.

O IDSC-BR também contou com o apoio do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) e do Projeto CITinova.

Por Ana Cândida Pena, do Programa Cidades Sustentáveis


Leia também