Jardins Filtrantes começam a ser construídos no Recife

Pioneiros em parques públicos do Recife, os Jardins Filtrantes começaram a ser executados, no início desta semana, no Parque do Caiara, no bairro da Iputinga, zona oeste da capital pernambucana.

Com projeção para ocupar aproximadamente 7 mil m², os Jardins estão sendo implementados na foz do Riacho do Cavouco e serão responsáveis pelo tratamento de cerca de 10% da vazão da água poluída que desaguará no Rio Capibaribe.

Essa obra de requalificação ambiental tem previsão de 150 dias, conta com investimento de R$ 4,5 milhões, e está sendo realizada sob responsabilidade da Agência Recife para Inovação e Estratégia (ARIES), em conjunto com o Porto Digital. A iniciativa faz parte de uma série de projetos-pilotos do CITinova, projeto multilateral financiado pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (Global Environment Facility- GEF, em inglês).               .

Os Jardins Filtrantes, assim como os outros projetos-pilotos apoiados pelo CITinova em Recife e Brasília, servirão de modelo a serem replicados em larga escala por gestores públicos de todo o país.

Prefeito e secretários do Recife visitam a obra

O prefeito do Recife, João Campos, e os secretários de Meio Ambiente e de Desenvolvimento Econômico, Carlos Ribeiro e Rafael Dubeux, visitaram o local das obras na segunda-feira (7). “Com isso [os Jardins Filtrantes], o Riacho do Cavouco, que chega no Rio Capibaribe, terá uma parcela importante da sua água sendo tratada e despejada de maneira adequada dentro do rio”, afirmou o prefeito João Campos, que destacou o tratamento 100% natural realizado através dos filtros.

Equipe ARIES e Phytorestore mostram o projeto-piloto ao prefeito, João Campos, e secretários. Fotos Giselle Cahú

O diretor-presidente da ARIES, Marcos Baptista, acompanhados por integrantes do Conselho e da equipe da agência, e Mariana Amazonas, representante da Phytorestore, empresa contratada para implementar os Jardins, acompanharam o prefeito e secretários na visita, que marcou o início das obras.

“A sensação é de que é possível ser e construir um Recife mais sustentável e capaz de acolher seus moradores com mais qualidade de vida”, comentou Mariana Amazonas. “É sonho e esperança que viram realidade e que comprovam que quando apostamos em soluções que contemplam a natureza todos saem ganhando.”

Para Marcos Baptista, o momento reforçou o compromisso da ARIES para com o futuro do Recife: “É um privilégio poder entregar à cidade um projeto inovador na área de saneamento, com diversos impactos positivos principalmente na área ambiental”.

Baptista enfatizou também a importância de “trazer para a cidade novas soluções que se alinhem com o Plano Recife 500 Anos. “Vamos mostrar aos recifenses e ao poder público que é possível comemorar os 500 anos do Recife, em 2037, com a cidade da forma que precisamos”, afirmou.

Tecnologia da natureza

A tecnologia aplicada nos Jardins Filtrantes é uma inovação francesa patenteada pela Phytorestore que utiliza plantas cuidadosamente selecionadas para remover poluentes da água por meio de um processo de fitorremediação. Ao fim do processo, a água tratada contribuirá de maneira direta para a vida no Rio Capibaribe, favorecendo a oxigenação da água e evitando que o rio continue recebendo poluição do Riacho. 

Segundo o engenheiro do Projeto CITinova/ARIES, Renato Martiniano, o principal fator de tratamento se dá pelos processos naturais que acontecem na zona de raízes, dentro dos substratos dos filtros; além disso, por se tratar de uma Solução Baseada na Natureza (SbN), os Jardins minimizam os riscos ambientais.

“O sistema se configura como um jardim de aparência natural com a capacidade de atrair a biodiversidade de fauna e flora para sua área de implantação, proporcionando a contemplação e a valorização social e ambiental da área”, explicou o engenheiro.

Por Giselle Cahú, da equipe de comunicação ARIES/CITinova.

Projeção dos Jardins Filtrantes que serão construídos no Parque do Caiara

Foto de abertura Deque no Parque do Caiara. Foto Giselle Cahú